7.5.16

O Sul Em Cima 15 / 16 - MARIANA LUCÍA


O SUL EM CIMA dessa edição especial mostra o trabalho da brasileira/uruguaia MARIANA LUCÍA.

Mariana Lucía - Foto: JuanDi Duarte
Mariana Lucía é cantora, compositora e nasceu em São Paulo no bairro de Santa Cecília. Seus pais eram exilados políticos que vieram para o Brasil depois do golpe no Uruguai nos anos 70. Quando tinha 5 anos de idade, foi morar no Rio de Janeiro, pois seu pai havia recebido um convite para trabalhar no Jornal do Brasil daquela cidade. Seis anos depois, a família retorna ao Uruguai onde moram até hoje.
Sua dupla nacionalidade explica a expressividade estética de suas canções em espanhol e português, misturando ritmos próprios da MPB e MPU. Suas composições giram em torno de suas canções, integrando por exemplo a sonoridade intimista da Bossa Nova junto a ritmos folclóricos de ambos os países se aliando a  recursos e efeitos sonoros eletrônicos, seguindo muitas das tendências estéticas atuais, se fundindo em uma intenção e pesquisa experimental. A artista tem sido elogiada por ter uma técnica de canto muito refinada e uma voz privilegiada, se destacando por sua capacidade de interpretação e carisma.
Mariana lançou em 2010 o disco "Proyecto Ser/Afín" produzido por ela e Román Impallomeni. Todas as canções foram compostas por Mariana Lucía com arranjos de Diego Lacuesta e Federico Kerber. Os músicos convidados para esse trabalho foram Popo Romano, Hugo Fatorusso, Eduardo Yaguno, Marcelo Rossi e Alejandro Aguerre.
Em 2012 lança "Flúo" seu segundo disco. A produção artística e arranjos são de Alejandro Aguerre e Mariana Lucía. Os músicos que participam de Flúo são Mariana Lucía, Diego Lacuesta, Popo Romano, Leonardo Rodriguéz e Alejandro Aguerre. Foram convidados os artistas Martin Buscaglia, Berta Pereira, Elena Prieto e Carolina Martino.
"Minhas letras não são narrativas, e tem mais a ver com poesia concreta", explica sobre sua inspiração com imagens e cores. Herdou de sua mãe pintora e artista plástica, seu interesse não apenas pelo visual, mas aprendeu a se relacionar com a arte de uma maneira natural e como uma forma de autoconhecimento.
Em 2013, Mariana lançou "Fados Propios", um disco gravado ao vivo, resultado de uma bolsa de estudos que ganhou para estudar na faculdade de letras de Lisboa em 2011 onde se encantou pelo fado. O repertório é uma homenagem a língua portuguesa e evoca a diversidade cultural e vozes da língua portuguesa, transpondo em canção poemas de Fernando Pessoa e reinterpretando canções de Amália Rodrigues, Cesária Évora, Carmem Miranda, José Afonso, Caetano Veloso, entre outros, mesclando a alegria e a melancolia em uma polifonia musical. Mariana Lucía recebeu os prêmios Graffiti em 2013 por melhor álbum solo feminino de música popular e canção urbana. Também foi reconhecida como uma cantora representante do movimento atual montevideano, incluída nos livros: "Ellas - Música Uruguaya" e "EY Canción".
Tem participado de diversos projetos musicais entre eles Rey Tambor junto a Hugo Fatorusso, Bossa Nostra junto a Sergio Tulbovitch e Eduardo Mauris, integrou a banda de Martin Buscaglia, grupo vocal feminino Lavanda, Coolpables junto a Nicolás Mora e Gustavo Echenique, Caos Polonio com Nicolás Ibarburu, Gustavo Montemurro, entre outros.


MI CORAZÓN BOMBÓN

Lançamento oficial - dia 27 de maio (sexta) às 21h  na Sala Zitarrosa - Montevidéu-Uruguai

Capa de "Mi corazón bombón"
Mi Corazón Bombón  está sendo lançado em maio/2016 e é o 4º disco de Mariana Lucía, editado conjuntamente pelos selos "Los añoz luz discos" (ARG) e "El Perro Andaluz" (UYU).
Em comparação com os discos anteriores, se caracteriza por uma estética sonora mais crua e austera. É um disco pop, com baterias, guitarras elétricas e distorções. Sua sonoridade se assemelha a um disco gravado ao vivo, sem edições, bases programadas e processos sequenciais. Soa orgânico e tocado por seres humanos e não por máquinas. Assim foi pensado, sem pompas. A temática questiona de forma jocosa o lugar da mulher no íntimo e social, as crenças estereotipadas a respeito do amor, da felicidade e das relações. Todas as composições são de Mariana Lucía e "Travelling" em co-autoria com Martín Buscaglia. Todos os arranjos foram desenvolvidos por cada músico com a guia estética artística de Diego Drexler (irmão de Jorge e Daniel Drexler), tomando como referência o caminho iniciado em seu 1º disco solo "De nuevo" que já mostramos em outro programa (Clique aqui para ouvir). Participaram desse disco: Mariana Lucía (voz e guitarra acústica), Martín Buscaglia (guitarras elétricas, acústicas e de 12 cordas), Diego Drexler (baixo, guitarra acústica e coros), Nicolás Constantín (bateria), Leonardo Rodriguez (percussões), Ariel Migliorelli (teclados e sintetizadores) e Federico Lima como artista convidado. Produção artística de Diego Drexler.

Mariana Lucía e Kleiton Ramil - Entrevista em La Paloma - Uruguai em janeiro/2016
Vamos ter dois programas O Sul em Cima com Mariana Lucía. O primeiro mostra músicas dos dois primeiros discos "Proyecto Ser/Afín" e "Flúo". Também vamos ouvir uma deliciosa entrevista realizada por Kleiton Ramil em La Paloma no Uruguai, onde Mariana conta um pouco de sua vida, seu processo composicional, seus trabalhos e muito mais!! O segundo programa mostra as músicas do novo álbum "Mi corazón bombón" que são: Mi corazón bombón, Alex did it, Usando diferentes pies, La Mollera, Dorándose, Pon tú, Travelling, Mamífero animal, L14 e Silêncio. Imperdível!!!


Ouçam Aqui - Programa 15 





Ouçam Aqui - Programa 16





Contatos:

Nenhum comentário:

Postar um comentário